terça-feira, 9 de setembro de 2008

Para o meu Ramsés I



Ode ao gato


[...]Os seus olhos amarelos deixaram uma só ranhura para jogar as moedas da noite
Oh pequeno imperador sem orbe, conquistador sem pátria mínimo tigre de salão nupcial ,sultão do céu das telhas eróticas, o vento do amor na interpérie reclamas quando passas e pousas quatro pés delicados no solo, cheirando, desconfiando de todo o terrestre, porque tudo é imundo para o imaculado pé do gato...

[...] Minha razão resvalou na sua indiferença, os seus olhos tem números de ouro.


(Navegaciones y Regresos, 1959)
Pablo Neruda

4 comentários:

Larissa Bohnenberger disse...

Que fofo o gatinho!
Sou apaixonada pelos animais!
São muito mais dignos de amor e respeito que a maioria dos seres humanos! Bjs!

Luly disse...

escrevi um texto sobre felinos outro dia.

Mas esse aí humilha!

sucesso!

http://rosas-inglesas.blogspot.com/

Pedro Pyratero disse...

que coisa linda meu! lindo de morrer! http://pedropyratero.blogspot.com/

GiGaNTE disse...

Muito bonito!