sábado, 20 de novembro de 2010

Loucos e Santos

Feliz Dia da Consciência Negra para todos .
Hoje é dia da consciência negra.
Dia criado para que as pessoas de modo geral pudessem ter um momento de reflexão sobre a necessidade da inclusão de forma igualitária para os afro-descendentes.
Sobre a necessidade de diminuir a divida social que temos,como nação, para com eles .
Uma pena que pessoas de origem negra em pleno século XXI ainda sofram de discriminações por causa de sua cor de pele ,se levarmos em conta que, cor de pele é parte característica ínfima dentre as características genéticas que indiquem a porcentagem da etnia de alguem
Eu , nesse dia ,faço a seguinte reflexão:sendo de origem ameríndia,moura,espanhola,portuguesa , tenho a absoluta certeza e consciência que sou multicolorida,multi-étnica e me sinto tão bem por isso.Seres humanos como eu, "vira-las" ou SRD (sem raça definitiva) podem ser o que quiserem.Hoje eu posso ser "neguinha" e pra ficar legal, adotarei o nome Zaila (que significa a feminina).
Hoje penso em todas as riquezas que a África ,mesmo sendo trazida a força pra cá, nos trouxe e deixou de herança .
Um beijo grande com sabor de dendê, cocada, vatapá, ou seja la que sabor africano voce preferir.
Beijos a todos os negros e mestiços desse pais.
Beijos aos "branquelos" que se sentem tão africanos quanto eu no dia de hoje,só pelo simples fato de ser brasileiro.
Sem a mãe Africa com certeza o Brasil seria um pais menos gostoso,colorido,musical, iluminado, alegre,afetivo e rico culturalmente.

Abaixo, vai um texto que é um pérola de declaração de amor e amizade



De Oscar Wilde:

Escolho meus amigos não pela cor de pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

Um comentário:

Rolando disse...

oi moça. tudo blz? estive por aqui. interessante. gostei. apareça por lá. abraços.