sábado, 15 de março de 2008

La Flamme d’une Chandelle


Lingua flamejante
Luz bailarina
Corpo ornado
Sólidas lágrimas
Alvas pérolas
Meninas
Vertem-se em fios
Delgado cordel
Tênue
Cândido
Tímida
Vela e revela
imagens plasmadas na parede
A vida por um fio
Pavio
(Eliana Maria Lopes de Andrade)


13 comentários:

Pamela Araújo disse...

Que singelo :))))
=*

Nanda Kiedis Declama disse...

Adoro o seu blog, mas sofro d+ para postar aqui, calma, é que meu pc é lento e demora horas para carregar a página de cometários, mas sempre vale a pena o sacrifico o poema tá lindo.
Bjs

Pedro Ojeda Escudero. disse...

Me gusta cómo imitan estos versos el movimiento -y la fragilidad- de la llama.
Besos.

Conquistadores (Didixy) disse...

Agradecendo a visita em meu blog. Vc parece curtir muito livros nesse estilo, não curto muito não...

Mas está excelente.

Bjs

Carol disse...

Lindo...

Tyaguim disse...

Que coisa linda!
Que música linda!
"A vida por um fio
Pavio"
Lindão..
Boa noite!

Feänor disse...

Nossa... Naninha, você tem um jeito muito único e peculiar com as palavras.

Eu invejo quem tem esse poder de síntese pra escrever - sejam poemas ou contos. E suas palavras... Não sei se isso é inteligível, mas eu diria que "conduzem sensações".

Como sempre, valeu e muito minha visita!

Bjs, Nana! Boa semana!

Calango Net News disse...

Gosto das poucas palavras que usa para expressar em um poema. Destas poucas palavras já bastam, pois elas são explicativas, resumidas e tem perspectiva de uma grande imaginação.

Acho que uma palavra pode mover várias janelas e destas um conhecimento sobre as coisas.

Abraço!

http://calangonetnews.blogspot.com/

MaxReinert disse...

A vela sempre serve de um bom pretexto para a escrita... o fogo parece nos insuglar de imagens, não é mesmo?

Reflexões de uns dias... disse...

Delícia de palavras . . .

intenso!

Euzer Lopes disse...

"A vida por um fio... pavio"

A vida realmente é por um fio. E o pavio é que vai conduzir os caminhos.
Incendiando estradas, queimando escolhas, fervendo crescimentos.

Até queimar. Até apagar!
Até enterrar!

Zeca disse...

Legal

"Lingua flamejante
Luz bailarina"

gostei dessa parte

Sr. Sem sono disse...

Parabéns - amo poemas em que a escrita passam simbolismo, enxerga-se a chama, do seu inicio ao fim, no pavio ^^