sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

"[...]A cada dia, apesar dos aspectos nada favoráveis do solo onde havia se instalado, Flor recuperou seus traços antigos e voltou a sorrir novamente.
Tinha verdadeira admiração por seres alados.
Talvez pela própria condição de vegetal de sua espécie que era a de ter a inerente necessidade física de estar fixa ao chão.
Abelhas, borboletas, pássaros e toda sorte de animaizinhos alados das redondezas descobriram sua presença e cultivaram uma admiração gratuita por sua personalidade floral .
Ela, retribuía as visitas com perfume ,néctar e cor.
Era realmente uma troca justa entre os amigos.
Traziam noticias frescas de distantes lugares , uma diversidade de informações que encantavam e saciava um pouco a sua curiosidade incomum de flor.
Uma margarida que ali se instara há meses e orgulhosamente exibia sua primeira floração dizia com ar de desdém que as únicas coisas que uma flor precisava saber era sobre fases da lua, de que lado o sol nascia,as estações do ano, posição dos ventos e polinização.Nada mais afirmava a margarida,nada mais teria valor para a sobrevivência de Flor.
Ela sorria carinhosamante e balança suas pétalas...
Verdadeiramente era um momento de alegria e alvoroço.
Essas criaturinhas vinham todos os dias em horários diferentes e entre risadas e diálogos se deliciavam com o néctar que Flor lhes serviam e atentamente ouvia suas narrativas.
Flor viajava,por um momentos se sentia aérea,etérea,vaporosa...
Com o tempo e com esse trânsito diário de insetos e aves , Flor percebeu que aqui e ali, outras pequenas flores e arbustos iam aparecendo e desafiando o rústico terreno.
Afinal, aquele lugar não era totalmente ruim como parecia.
Flor filisofava sobre isso enquanto se divertia ao observar uma Onze Horas se abrir e esfregar com suas tenras folhas os olhinhos incomodados pela luz .[...]"


Fragmento de Memórias de Flor de Eliana Lopes de Andrade

7 comentários:

ramon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ramon disse...

bonito!
= )

Chris disse...

Ai, que lindo!!!!!
AMEI!!!!

Parabéns pela escolha do texto e pelo blog!

♠♠คjคiяσи♠♠ disse...

mui belo minha cara!
muito bom mesmo!

Maiara Mascarenhas disse...

Bem lírico e paulatino. Curiosamente, cinco minutos atrás, haviam-me recomendado o livro.

Nathy. disse...

obrigada pelo toque lá do meu post, tava errado mesmo não é dialeto, e sim idioma, já troquei. obrigada, seu blog tbm tah lindo

Pedro Ojeda Escudero. disse...

qué hermoso fragmento
gracias